X
X
 


Pick-upau online
Notícias+
Pesquisadores do IF visitam Refazenda e Darwin
Técnicos do instituto conheceram o viveiro e uma base de pesquisa

Pesquisadores do Instituto Florestal de São Paulo foram conhecer de perto dois projetos institucionais da Agência Ambiental Pick-upau, que estão sendo desenvolvidos na Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos, localizada no extremo sul da capital paulista.

A Dra. Márcia Balistiero Figliolia, do Setor de Produção de Mudas e o Dr. Miguel Luiz Menezes Freitas, do Setor de Melhoramento Genético Florestal, estiveram na Terra Indígena Tenonde Porã, para observar as instalações do viveiro de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, do Projeto Refazenda e uma base de pesquisa de levantamento fitossociológico do Projeto Darwin.

Pesquisadores do Instituto Florestal visitam base de pesquisa do Projeto Darwin.

Os pesquisadores do IF, que foram recebidos pelo engenheiro agrônomo do Pick-upau, Nelson Matheus Oliveira Junior (diretor da CODASP – Companhia de Desenvolvimento Agrícola do Estado de São Paulo, diretor da AEASP – Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo e conselheiro do CREA-SP – Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado de São Paulo), também puderam conversar com indígenas envolvidos em ambos os projetos. Os pesquisadores irão colaborar com a organização na aplicação e no desenvolvimento de novas técnicas e procedimentos de aperfeiçoamento na produção florestal.

Engenheiro agrônomo do Pick-upau, Nelson Matheus Oliveira Junior, observa espécies no viveiro.

Marcia Balistiero Figliolia possui graduação em Ciências Florestais pela Universidade de São Paulo (1980), mestrado em Ciências Florestais [Esalq] pela Universidade de São Paulo (1993) e doutorado em pós-graduação em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências de Rio Claro - Universidade Estadual Paulista (2005). Atualmente é Pesquisadora Científica do Instituto Florestal do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em tecnologia e utilização de produtos florestais. Atuando principalmente nos seguintes temas: Platymiscium floribundum, Germinação, Produção de Mudas, Floresta Ombrófila Densa, Tolerância à Sombra. Fonte: Instituto Florestal

Miguel Luiz Menezes Freitas possui graduação em Agronomia pela Universidade de Taubaté (1992), mestrado em Agronomia - Sistemas de Produção - pela Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira - Universidade Estadual Paulista (1999) e doutorado em Agronomia - Genética e Melhoramento de Plantas - pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinária de Jaboticabal - Universidade Estadual Paulista (2003). Sou Pesquisador Científico do Instituto Florestal de São Paulo, Coordenador do Grupo Técnico de Conservação e Melhoramento Genético de Espécies Arbóreas e membro do Conselho da Revista do Instituto Florestal. Experiência na área de Ciências Agrárias, com ênfase em Genética Quantitativa, Genética de Populações e Biologia Molecular, em estudos de conservação genética e Melhoramento Genético Florestal. Fonte: Instituto Florestal

Gabriela Picolo, bióloga do Pick-upau e Marcia Balistiero Figliolia, pesquisadora do Instituto Florestal no viveiro do Projeto Refazenda.

Sobre o Pick-upau
O Pick-upau é uma organização não-governamental sem fins lucrativos de caráter ambientalista 100% brasileira dedicada à preservação e a manutenção da biodiversidade do planeta. Fundada em 1999, por três ex-integrantes do Greenpeace-Brasil e originalmente criada no Cerrado brasileiro, tem sua base, próxima a uma das últimas e mais importantes reservas de mata atlântica da cidade São Paulo, a maior metrópole da América Latina. Por tratar-se de uma organização sobre Meio Ambiente, sem uma bandeira única, o Pick-upau possui e desenvolve projetos em diversas áreas ambientais.
Acesse: www.pick-upau.org.br

Sobre o Instituto Florestal
Fundado em 1886, o IF é uma entidade pioneira nas ações de conservação da natureza detendo, através de sua filosofia de trabalho, posição marcante na realidade florestal paulista e brasileira, seja como gerador de atividade sustentável e econômica, seja pela proteção de áreas significativas que abrigam ecossistemas primitivos. Vinculado à Secretaria do Meio Ambiente desde 1986, o IF sempre cuidou das reservas do estado de São Paulo, tarefa que começo a dividir com a Fundação Florestal a partir de 2007. São mais de 900 mil há de reservas, o que significa cerca de 3,5 % do território paulista, distribuídos em 24 Estações Ecológicas, 27 Parques Estaduais, 19 Estações Experimentais, 01 Reserva Estadual, 02 Viveiros Florestais, 06 Hortos Florestais, abrangendo 114 municípios. O Instituto Florestal é o guardião da biodiversidade do Estado de São Paulo e sua obrigação é garantir às futuras gerações tal patrimônio.
Saiba mais: www.iflorestal.sp.gov.br

Sobre o Projeto Refazenda
O Projeto Refazenda é uma iniciativa do Pick-upau, uma organização não-governamental sem fins lucrativos de caráter ambientalista, 100% brasileira, em parceria com o Fundo Especial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e a aldeia guarani Tenonde Porã. O programa tem entre seus principais objetivos a produção de mudas nativas da mata atlântica, como forma de fomento da economia da comunidade indígena beneficiada e o aumento da oferta de produtos florestais destinados a recuperação e ampliação da cobertura vegetal de um dos biomas mais ameaçados do país, a mata atlântica. Saiba mais: www.refazenda.org.br

Sobre o Projeto Darwin
O “Projeto Darwin” tem como principais características conhecer e divulgar os atributos naturais e culturais dos Biomas Brasileiros, com ênfase na Floresta Atlântica Tropical, incluindo áreas particulares, Unidades de Conservação e Terras Indígenas.
Além dos inventários biológicos das espécies predominantes da fauna e da flora (pesquisa), há o compromisso de sensibilizar o maior número de pessoas possíveis para tornar viável o desenvolvimento sócio-econômico das regiões inseridas no projeto e a preservação do ambiente. Outro aspecto relevante e diferencial do Projeto Darwin é o envolvimento de comunidades tradicionais como a Aldeia Guarani Tenonde Porã.
Acesse: www.darwin.org.br

Da Redação
Fotos: Pick-upau/Divulgação